Optometria no Reino Unido

Actualmente a optometria no Reino unido enfrenta grandes desafios, com a reorganização dos cuidados de saúde em geral. Os cuidados primários da visão têm progressivamente alastrado para os cuidados secundários, em que já é relativamente comum haver optometristas a fazer determinados procedimentos em ambiente hospitalar, como laser YAG ou administrar injecções intravitreas.

O reconhecimento aliado à formação adequada faz dos optometristas em UK uma profissão fundamental numa sociedade moderna. A maturação da profissão ao longo das últimas décadas inevitavelmente contribui para a sua valorização.

A formação em optometria nas universidades do Reino unido é completa após 3 ou 4 anos de estudo a tempo inteiro, incluindo estágios desde o primeiro ano em algumas universidades, seguido por um período de estágio obrigatório de aproximadamente 1 ano. O estágio é da responsabilidade do College of Optometrists e da universidade Manchester. No final do período de estágio os alunos são sujeitos a um exame prático (OSCEobjective structured clinical examination), em que os alunos são avaliados em diversas áreas, como por exemplo a comunicação com os pacientes ou a interpretação de imagens, em 14 diferentes cenários. Após o exame prático, recebem automaticamente o registo da ordem profissional (GOC – General Optical Council) e o registo clínico no sistema de saúde da respectiva área de trabalho.

A optometria no Reino Unido começou a estender as suas competências e diversos cursos de pós graduação surgiram nas universidades. Actualmente, o College of Optometrists faz o reconhecimento destes cursos através da atribuição de certificados e diplomas em baixa visão, pediatria, lentes de contacto, retina médica,  glaucoma e IP- independent prescriber.

As saídas profissionais são maioritariamente em ópticas, consultas ao domicílio, clínicas privadas, hospitais, ensino e investigação.

Nas ópticas, o trabalho clínico é bastante variado dependendo da empresa, protocolos e área geográfica. As parcerias das ópticas com o sistema nacional de saúde são diversas e engloba distintas áreas como: adaptação de lentes contacto especiais, avaliação pré e pós cirurgia da catarata, medição da PIO com Goldmann, monitorização da hipertensão ocular ou glaucoma, tratamento de algumas patologias agudas, baixa visão, entre outras.

As consultas ao domicílio têm sido uma área emergente, em que o optometrista desloca-se diariamente com o todo o equipamento portátil. Normalmente tem o apoio de um assistente.

Nas clínicas privadas, o trabalho direcciona-se maioritariamente no apoio à cirurgia laser, implante de lentes intra- oculares e catarata.

Ao nível hospitalar é onde o optometrista tem, efectivamente, ampliado as suas funções exercendo actividade em distintos departamentos como: lentes de contacto, refracção, pediatria, glaucoma, laser, DMI ou catarata.

Academicamente, as oportunidades são variadas nas 12 Universidades que lecionam o curso.