Capsulotomia Laser YAG

Após a realização da cirurgia de catarata pode ocorrer a opacificação da membrana, chamada cápsula posterior, na qual se apoia a lente intraocular. Esta perda de transparência irá induzir perda de acuidade visual em cerca de 10% dos pacientes e, pode ocorrer após alguns meses ou anos após a cirurgia. O tratamento usado para melhorar a visão destes pacientes é denominado capsulotomia com laser YAG. Este tipo de laser YAG significa Yttrium, Aluminium e Garnet crystals.

A perda de transparência pode ser significativa e, apesar de não prejudicar o olho, pode afetar a visão da mesma forma que a catarata. O tratamento com este laser irá melhorar a visão e diminuir o encadeamento. Este tratamento é seguro, não é invasivo como a cirurgia e as complicações graves são raras.

O procedimento

Antes da aplicação do laser, é medida a acuidade visual com os óculos habituais.

Posteriormente é aplicado um colírio para dilatar as pupilas. Desta forma não deverá conduzir após o tratamento, enquanto as pupilas estiverem dilatadas. Só é necessário dilatar o olho que recebe o tratamento.

O procedimento laser é realizado com um aparelho idêntico a uma lâmpada de fenda (microscópio comum para observar os olhos). É usado outro colírio para anestesiar a superfície do olho e, pode ser usado uma lente que contacta com a córnea de forma a focar o laser e ajudar a manter o olho aberto. O procedimento demora cerca de 5 a 10 minutos por olho, em que o paciente ouve uns “bips” e sente luzes brilhantes. O desconforto é mínimo.

Depois tratamento

A visão estará desfocada logo após a aplicação do laser YAG, mas deverá melhorar nas horas seguintes.

Habitualmente, o paciente pode sentir moscas volantes (i.e., corpos flutuantes – pequenos pedaços de detritos no campo de visão que se parecem com manchas, pelos, aranhas ou moscas que parecem flutuar na frente dos olhos). Estes tendem a desaparecer após algumas semanas.

Caso ocorra um aumento súbitos de moscas volantes e/ou sensação de flashes de luz (fotopsias) e/ou sensação de uma sombra ou cortina no campo visual, o paciente deverá ser observado em oftalmologia o mais rápido possível devido ao risco de descolamento de retina.

Também deverá ter avaliação oftalmológica em caso de dor ou perda de visão após este procedimento.

Normalmente é seguro conduzir no dia seguinte e alguns pacientes necessitam de nova consulta após este procedimento com o laser YAG. Uma consulta para avaliar a prescrição dos óculos também é aconselhado.

Os riscos deste tratamento são raros e incluem:

– Descolamento de retina, que pode ser tratado com sucesso nos casos detetados a tempo.

– Edema macular, que pode causar visão turva e manter-se por algumas semanas, mesmo com tratamento atempado. O risco é mínimo, mas pode ser ligeiramente maior em pacientes diabéticos.

– Aumento da pressão intraocular que é habitualmente tratado com sucesso.

– Muito raramente a lente intraocular pode ser danificada pelo laser. Em circunstâncias excecionais a lente intraocular pode se deslocar e precisar de ser substituída.

– Ainda mais raro, pode ser necessário repetir este tratamento com o laser para melhorar a visão.

O Optometrista deverá encaminhar o utente sempre que exista opacificação da cápsula posterior com perda de acuidade visual, e/ou em caso de sintomas associados a encadeamento, como é o caso de conduzir.

Relacionado com este assunto, poderá consultar:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s