Infiltrado ou Úlcera?

O que fazer quando um paciente apresenta um ponto ou mancha branca na córnea?


Todos os profissionais de visão devem estar familiarizados com eventuais achados ao nível da córnea. Infiltrados na córnea é um evento adverso comum e fortemente associado ao uso de lentes de contato.

É fundamental distinguir entre as diferentes etiologias de eventos infiltrativos associados ao uso de lentes de contato. Por exemplo, queratite microbiana é uma das infeções mais graves, com a necessidade de tratamento agressivo e atempado para evitar perda de visão. Esta entidade potencialmente nefasta, contrasta com os infiltrados assintomáticos que normalmente apenas requere a descontinuação das lentes de contato. Também é importante diferenciar um olho vermelho de outras potenciais causas.

Uma distinção importante a fazer é se um foco de infiltrado(s) da córnea está infetado com bactérias ou se é estéril, ou seja, se é apenas uma resposta imunológica exagerada. Neste sentido, alguns médicos defendem a raspagem (esfregaço e cultura) dos infiltrados da córnea, principalmente nos usuários de lentes de contato, para determinar a causa associada. Outros profissionais, preferem medicar sem a realização de testes laboratoriais. Pacientes que não respondem ao tratamento, deverão ser sujeitos à raspagem da córnea de forma a identificar a causa da infeção e respectivo tratamento.

Na ausência de avaliação laboratorial, a diferenciação é baseada em alguns fatores, como a gravidade dos sintomas, tamanho e localização da lesão, localização e gravidade da resposta conjuntival, reação na câmara anterior, entre outros. Apesar da crença de que as úlceras infeciosas da córnea são geralmente grandes e no centro da córnea, não se deve cair no erro de fazer um diagnóstico com base apenas no tamanho ou localização, uma vez que todas as infeções começam com a aparência de pequenos infiltrados e podem inicialmente apresentar-se perifericamente, uni ou bilateral. A tabela abaixo descreve algumas características que podem ajudar a diferenciar entre infiltrados estéreis de infiltrados infeciosos.

Fonte: GALE ACADEMIC

A Cornea and Contact Lens Research Unit (Australia, em 2003), elaborou uma classificação para distinguir os infiltrados corneanos associados ao uso de lentes de contato, descrevendo seis etiologias distintas. O sistema de classificação foi desenhado para ajudar no diagnóstico, manuseamento e tratamento de infiltrados da córnea – quadro abaixo.

Fonte: CLSPECTRUM

Teste os seus conhecimentosLesões córnea
Vídeo formativo sobre: Lesões Córnea

Referências:
– Deborah F Sweeney et al. Clinical characterization of corneal infiltrative events observed with soft contact lens wear. Cornea, 2003.
– Silbert JA. Corneal infiltrative complications associated with contact lens wear. Rev Optom 2004.
– Fleiszig SM. The pathogenesis of contact lens-related keratitis. Optom & Vis Sci 2006.
– Jimmy D Bartlett, Siret D Jaanus. Clinical ocular pharmacology. 5th ed. Butterworth-Heineman/Elsevier, 2008.

Optovisionarium, 2022


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s